segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Candiru, o peixe assassino

O Candiru (Vandellia cirrhosa), também chamado de canero ou peixe-vampiro, é um peixe de água doce que pertence ao grupo comumente chamado de peixe-gato. Ele é encontrado no Rio Amazonas, no Rio Madeira e nos seus afluentes e tem uma reputação entre os nativos de ser o peixe mais temido naquelas águas, até mais que a piranha! A espécie cresce até dezoito centímetros e tem forma de enguia, tornando-o quase invisível na água. O candiru é um parasita. Ele nada até as cavidades das guelras dos peixes e se aloja lá, se alimentando de sangue nas guelras, recebendo assim o apelido de "peixe-vampiro".


Ele é muito temido pelos nativos da região amazônica devido a sua "peculiaridade" de entrar por orificíos humanos. O peixe que tem perfil aerodinâmico de um supositório, é atraído pela urina e nada até penetrar na uretra, ânus ou vagina. O curioso é que ele pode nadar no fluxo de urina para chegar onde deseja. Então ele se instala e não há mais possibilidade de retorno pelo mesmo lugar que entrou pois é aberta a parte posterior de seu corpo e suas nadadeiras ficam em forma de guarda-chuva.

Após isso ele passa a se alimentar do sangue e tecido do hospedeiro e só pode ser retirado por meio de
cirurgia. No entanto as nativas da região dizem ter descoberto um modo de driblar a necessidade de ir ao médico: segundo elas é só permanecer relaxada, suportando a dor, até que o próprio peixe encontre um modo natural de voltar (O.o).

Uma cura tradicional envolve o uso de duas plantas, a Xagua (Genipa americana) e uma certa maçã, que são inseridas (ou o extrato desses ingredientes no caso de espaços apertados) na área afetada. Acredita-se que estas plantas juntas irão matar e então dissolver o peixe. Mas frequentemente o problema se agrava devido ao choque causado pela infecção, logo acontecem as hemorragias e provavelmente o óbito das vítimas antes que o candiru possa ser removido.

Um caso conhecido mostra um corpo encontrado em um rio, com diversos Candirus alojados internamente se alimentando das vísceras do falecido. Em 1997, foi realizada a remoção de um candiru em um homem chamado Silvio Barbosa na cidade de Manaus/AM pelo urologista Dr. Anoar Samad.


Mesmo assim muita gente acredita que os ataques do candiru não passam de lendas urbanas e acabam por não se importar em urinar nas águas dos rios, mas a verdade é que existem vários registros sobre vítimas desse monstrinho. 

Vídeos:


Remoção de Candiru por Dr. Anoar Samad


Portanto, para evitar encontros desagradáveis com o peixinho simpático, nada de entrar em rios nú! Além disso, evite nadar com calções e biquínis folgados e, na hora de fazer xixi, saia de perto da água!

E se só o alerta não adiantar clique AQUI! Não é nada agradável...

Fontes:
http://www.megacurioso.com.br/
pt.wikipedia.org/wiki/Candiru‎

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de se expressar!
Sua opinião é muito importante para nós.