quinta-feira, 14 de maio de 2015

10 cefalópodes incríveis

Com corpos sem ossos, braços moles, bicos afiados e olhos esbugalhados, lulas, polvos e outros cefalópodes são vistos por muitos como criaturas fantásticas da natureza, alimentando nossa imaginação com as mil formas e hábitos estranhos que podem ter. Confira alguns dos membros mais divergentes e incomuns da nossa classe taxonômica:

10) Lula pigmeia

10

A lula gigante é um dos maiores e mais ferozes invertebrados do mundo, e inspirou aterrorizantes lendas náuticas ao longo de séculos. No entanto, raramente as pessoas se lembram da menor lula do mundo, Idiosepius notoides. Com menos de 2,5 centímetros de comprimento, ela vive exclusivamente entre “gramas” do mar, passeando como um inseto em um prado aquático. Células aderentes ao longo da lula permitem que ela se mantenha firme na vegetação quando precisa de descanso, o que deixa seus tentáculos livres e impede que ela seja levada para longe quando as correntes estão fortes.

sábado, 2 de maio de 2015

Astrônomos intrigados com maior estrutura do universo

Astrônomos intrigados com maior estrutura do universo

Mais de uma década atrás, os cientistas que estudam o brilho da radiação do Big Bang, chamada radiação cósmica de fundo, notaram algo estranho em seu mapa: uma região extraordinariamente grande e fria do céu, localizada na constelação Eridanus. Embora áreas mais quentes e mais frias do universo jovem tenham sido previstas para existir devido a sua expansão precoce e rápida, este particular “ponto frio” destacou-se, porque é tão grande que não pode ser explicado pela chamada teoria da inflação. Na verdade, os cientistas acreditam que esta poderia ser a maior estrutura individual já encontrada.

Isso levou os cientistas a propor várias hipóteses para a sua existência, incluindo um tipo de defeito cósmico conhecida como “textura”, ou mesmo uma colisão com um outro universo. Mas os cientistas estavam lutando com o fato de que muitas de suas ideias precisavam de uma física exótica, assim as origens deste curioso ponto frio permaneceram uma incógnita. Agora, descobre-se que a explicação pode ser muito mais simples do que se pensava originalmente, conforme os cientistas coletaram evidências para sugerir que uma estrutura rara e enorme localizada entre nós e a radiação cósmica de fundo (CMB) pode ser a culpada.